Toda cena deve ter um propósito

Qual é o propósito da sua cena?

Esta é a pergunta mais importante que você tem que se fazer antes de
começar a escrever cada cena do seu livro.

Qual é o foco desta cena? O que ela está fazendo no livro?

Se você não souber a resposta, talvez seja melhor cortar a cena fora. Se
ela não mover a história adiante, ela não é efetiva.

Vamos ver melhor como identificar uma cena problemática, e como podemos planejar para que todas as cenas contribuam para a história do livro.

Você precisa entender a cena antes de escrevê-la

Entender a cena é essencial antes mesmo de começar a escrever. Você
precisa saber de onde a cena vem e pra onde ela vai.

Mas nem sempre é fácil pensar em tudo que você precisa.

Tem momentos em que eu tenho uma ideia de uma cena muito emocionante, mas não sei como isso vai mover a história adiante. Em outros, eu sei o que precisa acontecer, mas não sei como.

Sempre que estiver com dificuldade, tente reduzir a cena aos seus
elementos mais básicos.

Toda cena precisa de um conflito. Toda cena precisa de um personagem
principal que participa do conflito, um começo, meio e fim. Toda cena precisa mover a história adiante.

Esqueça o cenário onde a cena vai acontecer. Esqueça tema, contexto.
Foque primeiro nos elementos básicos.

Depois que você souber as respostas aos elementos mais importantes, aí
sim você pode voltar e preencher o resto pra dar cor à cena.

Vamos ver alguns dos elementos que você precisa planejar.

Como saber se a cena tem um propósito

Se no final da cena as coisas estiverem da mesma forma que estavam no
começo, essa cena não tem razão de existir.

As coisas precisam mudar. Talvez pra melhor, talvez pra pior. Quem
sabe o protagonista adquiriu uma nova informação. Ou um novo inimigo.
Talvez tenha fechado uma porta importante ou perdido um relacionamento.
Seja o que for, as coisas precisam mudar.

Elas não precisam mudar para o protagonista, necessariamente. A cena
pode mudar algo para o antagonista. Ou até mesmo para o leitor.

Mas lembre-se disso acima de tudo: a cena tem que mover a história
adiante
.

Toda cena precisa de um conflito

Conflito. Esse é o ingrediente especial para todas as partes de uma história.

Conflito não significa ação, briga, tiroteio. Conflito é quando temos
dois lados com interessantes conflitantes, e os dois agem para conseguir
o que querem.

Seu personagem precisa querer alguma coisa, nem que seja um copo de
água
.

E se tivermos alguém que também quer aquele único copo de água, temos
conflito.

O conflito pode ser físico, como uma briga ou perseguição. Pode ser intelectual, como dois gênios tentando superar o outro no xadrez. Pode também ser social, como uma conversa em público cheio de ofensas veladas e tentativas de desmerecer o outro diante de uma audiência.

O conflito pode ser qualquer coisa, desde que exista alguma coisa se
opondo ao personagem principal daquela cena.

O personagem principal da cena

Toda cena tem um personagem principal, mesmo que não esteja explícito.

A cena vai mostrar os acontecimentos ao redor desse personagem. Ela vai
ser baseada na luta desse personagem pra atingir seu objetivo, ou seja, o conflito central da cena é dele.

Alguns livros tem um único protagonista e acompanham ele do começo ao
fim. Nesse caso, é fácil saber, o personagem principal da cena é sempre o protagonista do livro.

Em outros livros, existem vários protagonistas. Ou então o livro acompanha o antagonista algumas vezes. Ou personagens secundários.

Uma forma de saber quem é o personagem principal da cena é se perguntar: quem tem mais a perder com o conflito desta cena?

Quando você tiver a resposta, sabe quem é o principal. Agora só basta
mover a história adiante.

Se você estiver gostando dessa série de dicas de escrita, não deixe de conferir o meu livro Estrutura de Roteiro (em promoção por R$2,99 só esse mês).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *